Resenha | Mosquitolândia

07:15

Livro Mosquitolândia de David Arnold






















 Finalmente consegui fazer a resenha de Mosquitolândia, um ótimo livro que li há algum tempo atrás. Eu confesso que foi um pouco difícil entrar na história porque eu tinha recém lido A Mais Pura Verdade que também trata sobre um jovem/criança em uma viagem e queria algo diferente. Mas assim que adentrei mais na história percebi que os dois livros eram bem diferentes e pude então aproveitar melhor a jornada de Mim.

Sinopse: “Meu nome é Mary Iris Malone, e eu não estou nada bem.” Após o inesperado divórcio dos pais, Mim Malone é arrastada de sua casa em Ohio para o árido Mississippi, onde passa a morar com o pai e a madrasta e a ser medicada contra a própria vontade. Porém, antes mesmo de a poeira da mudança baixar, ela descobre que a mãe está doente. Mim foge de sua nova vida e embarca em um ônibus com destino a seu verdadeiro lugar, o lar de sua mãe, e acaba encontrando alguns companheiros de viagem muito interessantes pelo caminho. Quando a jornada de mais de mil quilômetros toma rumos inesperados, ela precisa confrontar os próprios demônios e redefinir seus conceitos de amor, lealdade e sanidade. Com uma narrativa caleidoscópica e inesquecível, Mosquitolândia é uma odisseia contemporânea, uma história sobre as dificuldades do dia a dia e o que fazemos para enfrentá-las. 

  ''Você já teve a sensação de ter perdido algo importante, só para descobrir que a coisa nunca existiu para começo de conversa?'' (pág. 265)

Mary Iris Malone - mais conhecida como Mim - é uma garota que não está nada bem. Seus pais se divorciaram, ela mudou de cidade e sua mãe tem estado distante nas últimas semanas. Um dia, quando é chamada à diretoria de sua escola Mim escuta por acidente a conversa entre seu pai, sua madrasta e o diretor. É então que descobre que sua mãe está muito doente. Com uma mochila nas costas e um diário na mão Mim foge ao encontro da mãe, numa viagem que lhe trará além de autoconhecimento os melhores amigos pelos quais podia pedir.

Leia também: Resenha | Lola e o Garoto da Casa ao Lado

Ínicio de capítulo do livro Mosquitolândia


  Nós temos algumas divisões dentro do livro. A história em si começar a ter divisões a partir do momento em que Mim decide ir visitar sua mãe. A partir daí começa a contagem, 1524 quilômetros até chegar em Cleveland, que é onde sua mãe está. Ao longo do livro a contagem vai diminuindo em alguns momentos, quanto mais ela se aproxima do destino. A segunda divisão é entre o ''presente'' e as cartas. O ''presente'' é uma narrativa normal, onde sabemos o que está acontecendo com a personagem. Porém Mim também passa a jornada inteira escrevendo cartas para alguém, e por meio dessas cartas descobrimos muitas coisas legais também. 

 Mim é uma personagem bem característica. Daquelas que você se lembra por um bom tempo. Tem a personalidade muito forte e divertida de seu próprio modo. Ela tem um jeito único de ver o mundo e é difícil saber como a mente dela funciona. Apesar de tudo isso ela me irritou em alguns momentos por ter atitudes infantis, mas é muito difícil um personagem não possuir defeitos.


 Ao longo da sua jornada Mary conhece várias pessoas que vão deixando uma marca. Algumas positivas, outras negativas. Até que ela finalmente conhece Beck, o fotógrafo da 17C por quem ela se apaixona e Walt um garoto com Síndrome de Down e que adora coisas brilhantes. É então que a vida deles começa a se entrelaçar e Mim percebe que a viagem lhe trouxe os melhores amigos pelos quais podia esperar.

 ''Sempre achei que, se o amor estivesse no caminho, eu o encontraria ou capturaria – nunca achei que tropeçaria nele.'' (pág.235)

 Eu achei a história muito boa, de verdade, mas a maneira como algumas pessoas comentavam dele dava a entender que seria o melhor livro da minha vida, o que não foi. Foi uma ótima leitura, só. Por isso já deixo registrado aqui: expectativa é uma coisa muito ruim. 

 Nunca tinha lido nada do David Arnold mas a escrita dele ótima, já fui pesquisar quais são suas outras obras e quero muito ler Kids of Appetite que acho que ainda não foi traduzido para o português mas parece ser lindo também.  

 E você, já leu Mosquitolânida? O que achou da leitura? Não conhecia mas se interessou? Deixa um comentário me contando as respostas dessas perguntas, eu vou adorar :) 

You Might Also Like

23 comentários

  1. Respostas
    1. Oi, Felipe :)
      Fico super feliz que tenha gostado, beijo!

      Excluir
  2. MOSQUITOLANDIA? O que é esse titulo? AMEI, não conhecia, mais vou procurar sim!

    clebereldridge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiiim, pensei a mesma coisa, hahah
      É um daqueles livros que já te conquista pelo nome e capa <3
      Beijo!

      Excluir
  3. Super fofinha a capa do livro e as páginas. Eu gostei da sinopse, imagino uma história bonita e agradável de ler. Muito legal sua resenha <3
    bjs
    blogtrashrock.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente assim, uma história agradável de ler <3
      Fico super feliz que tenha gostado da resenha Marília :)
      Beijo!

      Excluir
  4. Oi, Betânia.
    Já li algumas resenhas desse livro é todas com críticas ótimas.
    E a respeito de não ter sido o livro mais legal que leu acho que isso é bem relativo né ^_^.
    Ainda quero ler e ver o que acho.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila :)
      Exatamente, do mesmo jeito que foi um ótimo livro para mim mas não me impactou mais, pode ser o melhor livro da sua vida. Isso que é bom a respeito da leitura <3
      Beijo!

      Excluir
  5. Achei uma delicadeza as folhas do livro e a capa. A história despertou meu interesse. Pretendo ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é linda demais. Fico feliz que tenha despertado seu interesse, Michelle :)
      Beijo!

      Excluir
  6. Nossa, Bê... nunca tinha ouvido falar desse livro, mas já me apaixonei por ele com essa resenha! Fiquei curiosa e já vou colocar o livro na minha lista para ler ainda esse ano (vai colocar alguns lá pra baixo, mas tudo bem, hahaha).
    Eu sei que a viagem dela foi por um motivo maior, a doença da mãe, mas eu sempre defendo que você sair de casa, mudar os ares, conhecer novas pessoas é uma experiência incrível que só vai trazer melhorias pra você. Não sei como é o final da personagem, mas já estou curiosa pra ler :).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico tão feliz de ouvir isso Andrea <3
      Verdade, mudanças como essa sempre trazem muito conhecimento e ás vezes são tão necessárias..
      Beijo!

      Excluir
  7. Eu estou no capítulo em que :: spoiler :: o ônibus capota e, até agora, não consegui me prender na história, o que é uma pena, pois tem muita gente falando bem do livro. Quero muito saber como termina, mas a leitura não desempaca o.O

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? ás vezes isso acontece comigo também :/
      Talvez seja melhor dar um tempo, não? Tirar alguns dias, quem sabe quando voltar a ler você esteja mais determinada :)
      Beijo!

      Excluir
  8. Achei o livro ótimo pra tirar fotos e já me interessei, hahah. Sobre a história, não é o meu estilo favorito, mas eu gostei bastante do A Mais Pura Verdade, e como as histórias tratam de assuntos semelhantes (embora você tenha falado que são diferentes), pode ser que eu dê uma chance a ele. Acho que esse tipo de livro nos faz enxergar a realidade de uma outra forma, mesmo que depois de um tempo não lembremos da história em si *-*

    Beijos! :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é lindão mesmo para fotos, hahah
      Verdade, as duas histórias são sobre viagem, e têm um jovem. Nesse quesito elas se assemelham. Mas o motivo e a jornada são bem diferentes...
      Beijo!

      Excluir
  9. Ei,to com esse livrinho aqui encalhado, não sabia que incrivel é essa historia, ctz vou furar a fila dele e começar logo ♥

    ResponderExcluir
  10. Faz bastante tempo que quero ler esse livro, gostei da capa desde a primeira vez que o vi.
    Amei a resenha
    Beijos
    http://lolamantovani.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é tão linda que conquista mesmo <3
      Fico feliz que tenha gostado Tay, beijo!

      Excluir
  11. Oi, Bê! Eu não tinha tantas expectativas em relação a esse livro e acabei me surpreendendo muito. Acho que é um ótimo YA, já que acaba fugindo um tanto dos clichês do gênero. Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ir sem expectativas é TUDO. Verdade, nesse ponto ele é realmente demais :)
      Beijo!

      Excluir
  12. Oie

    Ja vi esse livro muitas vezes , mas não sabia nem do que se tratava.

    Achei meio confusa essas repartições ,mas quando a gente le isso é um detalhe minimo.

    Amei a resenha e saber mais sobre esse livro

    Beijos

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir